Igreja Matriz de Espinho

Rua 18 | 4500-266 Espinho 41°00'20.4"N 8°38'24.6"W

Descrição

Dedicada a Nossa Senhora da Ajuda, o seu projeto deve-se ao arquiteto Adães Bermudes, nos últimos anos da década 20, do Século XX. Segue o tipo neo - românico da segunda metade de Oitocentos que, em Portugal, se prolongou. É um templo de vastas dimensões, apresentando grande unidade de estilo.

No exterior, destaca-se, dos elementos neo-românicos, uma larga e decorativa torre, que confere certa imponência ao conjunto. O interior dispõe-se numa só nave, antecedida de um átrio. A capela-mor, de forma retangular, é envolvida pelas sacristias.

De considerar pelo seu valor artístico, o Cristo Crucificado de madeira policroma, obra notável do escultor António Teixeira Lopes. Serve-lhe de fundo uma tela, representando as almas do purgatório, assinadas por Joaquim Lopes.

As imagens exteriores são em granito e foram esculpidas por António Cardoso.

As imagens cimeiras frontais representam, à esquerda, a Fé e, à direita, a Esperança.

A Igreja Matriz possui duas imagens da Nossa Senhora da Ajuda, Santa Padroeira; a maior encontra-se no terceiro retábulo do lado do Evangelho e está ladeada pelo Menino Jesus, à esquerda, e pela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, à direita. Na capela -mor também tem uma pequena imagem da Padroeira sobre o trono eucarístico.

Iconograficamente, a Santa está representada por uma mulher de cabelos castanhos compridos, com véu branco transparente e uma coroa sobre a cabeça; veste uma túnica cor-de-rosa e um manto azul sobre o ombro esquerdo. Os pés estão calçados com umas sandálias e pousam sobre uma nuvem branca, que se encontra num barco que se está a afundar. Na mão esquerda, segura o Menino Jesus e, na direita, a ponta de uma corda que lança ao barco.

Nossa Senhora da Ajuda é um dos muitos títulos que estão atribuídos à Virgem Maria. A sua lenda nasceu quando dois galegos sofreram um naufrágio e, após estarem a salvo, decidiram construir uma capela em sua honra.

O culto terá aparecido com a localidade de Espinho e reporta-nos para uma capela posterior à construída pelos galegos, a qual foi destruída pelo mar. A imagem da Santa Padroeira foi transladada e encontra-se, atualmente, na capela de santa Maria Maior (Capela de Nossa Senhora da Ajuda). A procissão realiza-se, anualmente, no terceiro domingo de setembro.

Características

Celebrações Eucarísticas

 Inverno: aos Domingos - 10h30, 12h00, 19h00
      Verão: aos Domingos - 11h00, 19h00h

      Vespertinas: 19h00h
      Semanal: de Terça a Sexta - 19h00

Contactos

Paróquia Espinho (N.ª Sr.ª da Ajuda)
Região Pastoral Sul - Vigararia Espinho - Ovar

 Rua 29, 530 | 4500-297 Espinho
 +351 227 322 997 - padre Artur Manuel Monteiro Pinto